• Birds
  • Birds
  • Birds
  • Birds
  • Birds
  • Birds
Projectos de Conservação

Projecto de Monitorização das Aves Aquáticas da Margem Norte do Estuário do Sado

Em 2009, a Birds & Nature lançou um Projecto de Conservação da Natureza e da Biodiversidade, que consiste na monitorização das aves aquáticas da margem norte do estuário do Sado.

Este Projecto foi apresentado ao Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), na sequência de uma alteração na lei que tutela as actividades de Turismo de Natureza e que incluía a possibilidade (facultativa no caso da Birds & Nature) da realização de um projecto de conservação da natureza por parte das empresas.

O Projecto permite obter dados ao longo de todo o ano sobre as diversas espécies de aves aquáticas, com destaque para o grupo das limícolas, incluíndo a sua abundância e variação sazonal, bem como a alteração dos habitats e respectivo impacto nessas mesmas aves; por outras palavras, pretende-se obter um conjunto de informações que possam contribuir para o conhecimento e conservação das aves desta área protegida de grande importância ornitológica, uma vez que só é possível conservar aquilo que conhecemos (Monitorizar para Conservar – Projecto de Conservação: Projecto de Monitorização das Aves Aquáticas da Margem Norte do Estuário do Sado). A informação obtida através do Projecto é complementar à informação recolhida por outras entidades, nomeadamente o próprio ICNF, cujo esforço de monitorização nesta zona húmida se tem concentrado durante os últimos anos apenas nos meses de Inverno.

Em termos práticos, o Projecto consiste na contagem mensal das aves aquáticas em zonas de refúgio de preia-mar, através de uma equipa de voluntários coordenados pela Birds & Nature. Para participar como voluntário, não é condição necessária experiência em observação e/ou monitorização de aves; cada voluntário que ingressa no Projecto recebe formação específica, para além de ser integrado numa equipa com diferentes níveis de experiência.

O Projecto iniciou-se com a primeira contagem em Janeiro de 2010. Pretendemos que o Projecto prossiga ao longo dos anos, de forma a que a informação recolhida seja o mais completa possível, permitindo uma intervenção prática e real na conservação das aves e dos seus habitats desta importante zona húmida de Portugal.

Valores-alvo
A importância do estuário do Sado como área protegida de enorme riqueza natural que importa conservar e valorizar, fica demonstrada por si só, atendendo aos vários estatutos de conservação que detém a nível internacional e nacional. O estuário possui uma grande diversidade de habitats e inclui duas Zonas de Protecção Especial (ZPE do Estuário do Sado e ZPE do Açude da Murta) e a Reserva Natural do Estuário do Sado (RNES), cuja área é superior a 23.000 ha. É também considerada uma Zona Húmida de Importância Internacional (Convenção de Ramsar).
Não obstante o estuário do Sado incluir significativas populações nidificantes de várias espécies (Garça-vermelha, Águia-sapeira, Chilreta), a importância ornitológica desta área está particularmente ligada às aves aquáticas (de que se destacam as limícolas, como são exemplos o Pilrito-de-peito-preto, o Alfaiate, o Borrelho-grande-de-coleira e o Perna-vermelha) que invernam na área e que utilizam o estuário como ponto de paragem para repouso e alimentação (zonas de stop-over) durante a sua migração anual pela rota do Atlântico Leste.
De salientar que o estuário do Sado tem sofrido, tal como muitas outras zonas húmidas portuguesas durante as últimas décadas, significativas alterações essencialmente provocadas pelo Homem; um exemplo deste facto, consiste nas diversas intervenções em zonas anteriormente exploradas como salinas, que constituíam um habitat utilizado por numerosas espécies de aves aquáticas (nomeadamente limícolas), como zonas de refúgio (descanso e alimentação) durante o periodo de preia-mar. 

Objectivos
Os principais objectivos deste Projecto são os seguintes:
- Obter informação acerca da variação sazonal dos efectivos populacionais das diversas espécies de aves que ocorrem no estuário do Sado.
- Obter informação relativamente à fenologia de cada espécie.
- Identificar as áreas no estuário que albergam uma maior concentração de aves ao longo do ano.
- Obter dados que possam contribuir para entender o impacto das várias formas de ocupação de áreas anteriormente exploradas como salinas.
- Obter uma série temporal que permita interpretar a resposta das aves monitorizadas face a alterações no seu habitat.        
- Complementar os dados recolhidos através de outras entidades, nomeadamente através do ICNF.
- Promover o voluntariado em projectos de conservação da natureza.     

Metodologia
O Projecto cobre uma área do estuário do Sado que se situa entre as Praias do Sado e o Zambujal e que está dividida em sete refúgios; cada um destes refúgios é monitorizado por uma equipa; cada equipa inclui em média cerca de três elementos, sendo coordenada por um destes. Cada refúgio inclui um determinado número de tanques, que constituem a unidade fundamental para as contagens; a actual ou anterior utilização dos tanques como salinas constitui o critério principal de selecção dos mesmos, embora outros locais (por exemplo canteiros de arroz ou manchas de sapal) que possam constituir refúgios utilizados pelas aves no periodo de preia-mar, sejam também incluídos. O total dos tanques monitorizados representa uma área aproximada de 146 ha, divididos da seguinte forma:
- Refúgio Praias do Sado 1 (13 tanques, 34 ha)
- Refúgio Praias do Sado 2 (6 tanques, 16 ha)
- Refúgio Mourisca (11 tanques, 39 ha)
- Refúgio Limpersado (6 tanques, 8 ha) 
- Refúgio Pinheiro Torto (9 tanques, 16 ha)
- Refúgio Gâmbia (3 tanques, 25 ha)
- Refúgio Zambujal (2 tanques, 8 ha)

O facto de numerosas espécies de aves aquáticas, com destaque para o grupo das limícolas, utilizarem a zona de lamas entre-marés como local de alimentação durante o periodo da baixa-mar, significa que estas aves estão, durante esse periodo, dispersas por uma grande área, sendo portanto muito dificil contá-las eficazmente; no entanto, durante o periodo de preia-mar e uma vez que essas zonas de lamas entre-marés ficam cobertas por água, estas aves concentram-se em refúgios, como por exemplo em tanques de actuais ou antigas salinas; este facto permite que, durante este periodo de preia-mar e nestes locais, seja possível identificar e contar essas mesmas aves de uma forma relativamente rápida e precisa.

É efectuada uma contagem mensal em todos os refúgios incluídos, num total de 12 contagens anuais. Cada contagem é efectuada a um sábado, na maior preia-mar diurna; se tal não for possível, serão privilegiados os dias mais próximos com marés superiores a 3.3 metros. O periodo de contagem é o mais próximo possível do pico de maré (por exemplo, caso a contagem de um dado refúgio demore em média duas horas, será o periodo compreendido entre uma hora antes e uma hora depois do pico de maré). A contagem de cada mês é efectuada em simultâneo pelas cinco equipas, cada uma contando o(s) seu(s) refúgio(s).

Mensalmente os resultados das contagens são processados informaticamente, obtendo-se diversas análises (por exemplo por espécie, por mês, por refúgio, etc...). Anualmente é produzido um relatório que inclui também as contagens efectuadas em outras zonas húmidas de Portugal e que é publicado no Anuário Ornitológico da Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves (SPEA).

Desde o início do Projecto já foram realizados vários encontros e reuniões, quer com as equipas de voluntários, quer com o ICNF. De igual forma, diversos módulos de formação relativos a identificação de aves e metodologia utilizada nas contagens são regularmente organizados. Todos os voluntários que aderem ao Projecto recebem formação teórica e prática. 

O Projecto é essencialmente direccionado às aves limícolas; no entanto e como já referido, são contadas também aves pertencentes a outros grupos (por exemplo gaivotas, andorinhas-do-mar, garças, flamingos, colhereiros, íbis, corvos-marinhos e patos).

A Equipa
- Equipa Combatentes
Carlos Silva (coordenador), Carla Moura, Beth Carlão
- Equipa Milherangos
Elizabeth Fernandes (coordenador), Rita Lavado, Ana Lavado, Anabela Lavado
- Equipa Pernas-verdes 
Maria Raínho (coordenador), Lisa Schroder
- Equipa Alfaiates
Amélia Almeida (coordenador), Cristina Vieira, Elisa Brás
- Equipa Pernilongos
Joaquim Valadeiro (coordenador), Sofia Romão, Filipe Martins

- Coordenação Geral do Projecto
João Jara, Bernardo Barreto, Frederico Morais

Entidades Parceiras
- Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF)/Reserva Natural do Estuário do Sado (RNES) 
- Swarovski Optik
- Município de Setúbal 
- Hotel do Sado (Setúbal)

Veja as fotos do Projecto aqui: http://www.flickr.com/groups/birds-nature-project-sadoestuary/

A Equipa

A Birds & Nature Tours é uma empresa de animação turística licenciada para esta actividade, com o RNAAT nº 25/2008 do Turismo de Portugal, I.P.

 
< Artigo anterior   Artigo seguinte >

Choose language

EnglishEnglish   PortuguêsPortuguês  

Procurar

NewsLetter






natureza.gif
atl.gif
apecate.gif
swarovski.gif